Com o passar dos anos, a região genital feminina também envelhece, apresentando-se gradativamente com flacidez e redução do volume dos grandes lábios, deixando por vezes os pequenos lábios aparentes, em alguns casos, ocorrendo o escurecimento da pele da região vulvar e da virilha, muitas vezes com áreas de foliculites na região dos pelos pubianos; atrofia do canal vaginal, o qual se torna mais flácido e com redução da sua lubrificação; certa incontinência urinária também pode se instalar pelo enfraquecimento do assoalho pélvico, etc... 

O rejuvenescimento íntimo visa resgatar as características estéticas e funcionais presentes em uma genitália jovem. Existem algumas técnicas cirúrgicas específicas para a região íntima feminina, realizadas por ginecologistas e cirurgiões plásticos, como a ninfoplastia, que adequa o tamanho dos pequenos lábios a estética e a funcionalidade vulvar. Há também vários tratamentos dermatológicos não cirúrgicos que abordam o embelezamento e o rejuvenescimento íntimo. 

A principal procura pela estética íntima abrange a faixa etária entre 30 e 60 anos, com um objetivo unânime: elevar a saúde, a autoestima e o bem-estar, o que reflete diretamente na vida sexual e no seu dia a dia das mulheres. Não há um padrão único de beleza íntima, mas é certo que uma genitália com aspecto mais jovem e com mais vigor é aquela que os grandes lábios apresentam volume e elasticidade preservados e que recobrem os pequenos lábios, onde a pele tem uma cor uniforme, sem manchas e sem a presença de pelos encravados, ou áreas de foliculites. 

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOVIDADES E PROMOÇÕES